Patos - PB 1 de março de 2024

Publicidade

Bernard Appy será secretário especial para reforma tributária, anuncia Haddad

O futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou a participação do economista Bernard Appy, que será o secretário especial para a reforma tributária do ano que vem. Considerado uma das maiores autoridades sobre tributação no país, ele servirá para ajudar o Ministério da Fazenda em uma das prioridades do Governo Lula.
 
Bernard Appy é formado em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e mestrado na Universidade de Campinas (Unicamp) Ele é o autor de uma das propostas que tramita no Congresso Nacional, a PEC 45, que prevê a substituição de cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) por um só, o Imposto sobre Bens e Serviços (IBS).
 
Para Haddad, a intenção do governo é discutir, junto com a reforma, a criação de uma nova âncora fiscal para o país. “Eu considero que um arcabouço fiscal novo é imprescindível, uma vez que o atual praticamente decaiu, não é respeitado já há alguns anos”, disse.
Ou seja, o novo ministro quer criar novos mecanismos para conter as despesas públicas, diferente do teto de gastos, atualmente utilizado no país. Ainda, o ex-prefeito de São Paulo reforçou que muitos equívocos econômicos ocorreram nesta última gestão de Jair Bolsonaro, e quer corrigir isso.
“Nós pretendemos corrigir essas distorções sem tirar o pobre do orçamento, porque nós temos um compromisso com a questão social. Não podemos admitir a volta da fome, a corrosão do poder de compra dos salários, o que está acontecendo. Mas isso tem que ser compatibilizado com trajetórias [de gasto] sustentáveis”, afirmou.

Compartile:

Tags:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE