Patos - PB 29 de fevereiro de 2024

Publicidade

Ministro diz que 1,4 milhão de famílias foram excluídas do Bolsa Família; veja irregularidades encontradas

// Obtém uma referência para o botão de impressão const imprimirBtn = document.getElementById('imprimirBtn');// Adiciona um evento de clique ao botão imprimirBtn.addEventListener('click', function() { window.print(); });

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Wellington Dias, informou nesta sexta-feira (3) que o governo excluiu do Bolsa Família em março 1,4 milhão de famílias que vinham recebendo o benefício de maneira indevida.

Wellington Dias deu a informação ao conceder uma entrevista coletiva à imprensa sobre a reformulação do programa – assinada nesta quinta (2) pelo presidente Lula.

No mês passado, o ministro já havia informado ter indícios de que 2,5 milhões de famílias recebiam o benefício de maneira indevida. Nesta sexta, confirmou que, com a exclusão de 1,4 milhão dessas famílias, ainda há cerca de 1 milhão recebendo o pagamento de forma incorreta.

Segundo os dados apresentados pelo ministério e por secretários da pasta:

  • 1.479.915 foram excluídas do Bolsa Família em março
  • 393,5 mil foram excluídas por ferirem as regras sobre o cadastro de famílias unipessoais
  • cerca de 1 milhão foram excluídas por ferirem algum critério do programa, como renda per capta familiar
  • 4,1 mil deixaram o programa voluntariamente

“O número exato [de beneficiários irregulares] só sai com a conclusão [da revisão do cadastro]. Mas são muito fortes os indícios de que, no mínimo, mais 1 milhão não preenchem os requisitos”, afirmou Wellington Dias.

Atualização do cadastro

Na mesma entrevista, o ministro informou que o governo vai contratar 12 mil pessoas para fazer a atualização de cadastro do Bolsa Família entre março e dezembro deste ano.

Segundo o ministério, o processo de atualização do cadastro se dará da seguinte maneira:

  • as famílias serão chamadas aos CRAS para atualizar os dados
  • os próprios CRAS vão marcar as datas e os horários (em alguns casos, o funcionário deverá comparecer à residência do beneficiário)
  • a revisão começará ainda em março
  • eventuais bloqueios começam em maio em caso de não comparecimento do beneficiário (até dezembro)
  • cancelamento do programa em caso de benefício indevido é automático
  • pessoas com mais de 50 anos ou com deficiência terão prioridade

De acordo com Wellington Dias, as pessoas seguirão recebendo o Bolsa Família durante o processo de atualização e não precisam procurar os CRAS.

(*Com informações do G1)

Compartile:

Tags:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE