Patos - PB 20 de maio de 2024

Publicidade

Hospital de Patos reduz tempo de permanência e taxa de ocupação em leitos de UTI com Projeto do Hcor

Secom-PB

 

Redução do tempo de permanência de internação de 16,5 para 6,5/dias em média, diminuição na taxa de ocupação de leitos de 94% para 61% e redução de registros de óbitos. Estes são alguns dos avanços conquistados pelo Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro (CHRDJC), de Patos, com o Projeto de TeleUTI do Hospital do Coração, mais conhecido como Hcor, de São Paulo. Nessa terça-feira (21), a equipe do projeto se reuniu, presencialmente, com os profissionais da unidade para comemorar os avanços com o Projeto de TeleMedicina, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS).

Desenvolvido desde abril do ano passado, o Projeto ainda propicia a qualificação das equipes assistenciais por meio de treinamentos à distância, trazendo benefícios diretos de conhecimento e troca de experiências para os profissionais que atuam em UTI. A enfermeira Tamiris Oriolo e a médica Camila Rocon, que integram a equipe do Hcor, conduziram a reunião em Patos e destacaram o engajamento dos profissionais do Hospital Regional, que já participaram de 147 tele-rounds (transmissões diárias que consiste na avaliação e discussão on-line pela equipe médica do Hcor junto à equipe do hospital participante, sobre o quadro de todos os pacientes internados nos leitos de UTIs).

“Nossa equipe já participou de 147 tele-rounds, beneficiando diretamente 132 pacientes e implantamos novos protocolos que melhoraram os desfechos clínicos de nossos pacientes”, destaca uma das coordenadoras da UTI do Hospital Regional, Raelma Maria Araújo que, junto com a outra coordenadora, Milêna Wanderley Quirino, integra o projeto na unidade juntamente com uma equipe multiprofissional, formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e também a direção do hospital. Ainda segundo Raelma, outros avanços estão sendo identificados a partir do Projeto, a exemplo da retirada de dispositivos invasivos dos pacientes em ventilação mecânica invasiva – VMI de 65% para 44%, do cateter venoso central – CVC de 71% para 56%, da menor utilização de cateter vesical de demora-CVD de 90% para 84% e também sobre a melhoria dos índices de uso de drogas vasoativas – DVA.

“Esses avanços nos resultados dos indicadores em nossa unidade têm permitido o acesso de mais pacientes aos leitos de UTI, aumentado a segurança na assistência, promovendo a otimização do sistema e melhorado os processos de trabalho”, reitera Milêna. “A nossa equipe foi bastante elogiada pelo engajamento nas ações, inclusive com participações diárias nas teletransmissões, interesse em conduzir os processos de melhorias e, sobretudo, pelos resultados alcançados e indicadores conquistados que demonstram o quão importante está sendo o Projeto para aperfeiçoamento de nossa assistência aos pacientes que precisam de cuidados intensivos”, destaca o diretor geral do hospital, Francisco Guedes.

No total, atualmente, 18 unidades hospitalares de gestão pública em nível nacional participam do Projeto, sendo cinco deles na Paraíba. Além do Complexo de Patos, integram o Projeto HCOR o Hospital Geral de Mamanguape, Hospital Regional de Cajazeiras, Hospital Geral de Pombal e o Hospital Regional Deputado Manoel Gonçalves de Abrantes, de Sousa. Dos 18 hospitais, 16 ficam em localidades do Nordeste (PB, RN, BA e CE) e dois em Santa Catarina (PR). A execução do Projeto começou em abril de 2022 e se estende até dezembro deste ano.

Secom-PB

Compartile:

Tags:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE