Patos - PB 23 de junho de 2024

Publicidade

Pequenos negócios têm ciclo de vida de menos de dois anos na Paraíba

Imagem: Sebrae/PB

 

O sonho de empreender e ser dono do próprio negócio é apenas uma das etapas requeridas para quem pretende atuar no mercado e conseguir independência. O desafio, no entanto, é se preparar para os obstáculos e manter o negócio ativo. Na Paraíba, segundo levantamento divulgado pela Usina de Dados do Sebrae/PB, um ecossistema de criação e divulgação de informações inteligentes, os pequenos negócios apresentam um tempo médio de um ano e quatro meses de atividade (1.42).

Conforme o levantamento, dos 249.358 mil estabelecimentos ativos no território paraibano, 243.040 são identificados como pequenos negócios. Considerando o registro por categoria, 161.897 são microempreendedores individuais (MEI), 72.506 identificados como microempresas (ME) e 8.637 empresas de pequeno porte (EPP). Demais negócios somam 6.318.

Segundo a gerente da Unidade de Gestão Estratégica e Monitoramento do Sebrae/PB, Ivani Costa, os fatores que interferem na sobrevivência dos pequenos negócios são diversos. “Esse indicador leva em consideração o tempo de vida da empresa desde sua formalização e com base no total de empresas abertas e fechadas em um determinado período. Muitos fatores influenciam esse percentual, desde a falta de experiência do empreendedor com a gestão empresarial até aspectos como falta de planejamento de mercado para a abertura do negócio, e mais recentemente, um movimento de migração do trabalho por conta própria para emprego com carteira assinada”, explicou.

Os dados também apresentam informações observando a realidade dos pequenos negócios por cidade. João Pessoa, conforme a estatística, conta com 85.007 empreendimentos inclusos nesta categoria e o ciclo de vida médio de atividade é de 1.29. Em seguida, aparecem na lista Campina Grande, com 35.440 negócios (1.53) e Patos com 8.525 (1.54).

Setores – considerando os dados por setor, o tempo médio de sobrevivência de um empreendimento com atuação no comércio é de pouco mais de um ano e nove meses (1.89), seguido da indústria (1.14), agronegócio (1.31) e serviços (0.97).

 

Assessoria

Compartile:

Tags:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE