Patos - PB 23 de fevereiro de 2024

Publicidade

Ramal que garantirá água do São Francisco para Paraíba será concluído em 2025

// Obtém uma referência para o botão de impressão const imprimirBtn = document.getElementById('imprimirBtn');// Adiciona um evento de clique ao botão imprimirBtn.addEventListener('click', function() { window.print(); });

 

Estrutura integrante do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf), o Ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte, será concluído em 2025. O anúncio foi feito, nesta sexta-feira (1º), pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que fez, em companhia do ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, sua primeira visita às obras da transposição em seu terceiro mandato.

“Desde a época do Império que se pensa nas riquezas do rio São Francisco. Mas foi só em 2007, no meu segundo governo, que começamos esta obra. Voltar aqui, anos depois, é muita felicidade. Vamos levar água a mais municípios do Nordeste”, comemorou o presidente Lula.

O ministro Waldez Góes destacou que o Projeto São Francisco voltou a ter, neste ano, os recursos necessários do Orçamento da União para garantir a conclusão de suas obras. Segundo ele, o compromisso do Governo Federal é levar água aonde for possível e para quem mais precisa.

“Os dois governos Lula [de 2003 a 2010) e o de Dilma [Rousseff] foram responsáveis por investir em torno de 90% das obras (88% do total). A transposição de São Francisco é um legado do presidente”, afirmou o ministro.

Quando finalizado, o Pisf vai garantir água a famílias, produção agropecuária e negócios em 390 municípios do Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Ao todo, 12 milhões de brasileiros serão beneficiados.

Durante o evento, o presidente e o ministro Waldez Góes recriaram o Comitê Gestor do Projeto de Integração do Rio São Francisco. O órgão será responsável pela gestão da transposição e fará o acompanhamento dos contratos de prestação de serviços que serão assinados pelos estados beneficiados.

Garantia de segurança hídrica

O Ramal do Apodi é uma das obras previstas no Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no eixo Água para Todos. Estão previstos mais de R$ 31 bilhões em investimentos em projetos de segurança hídrica, mais de 90% desse total destinados à Região Nordeste – o MIDR é responsável por pouco mais da metade desses recursos, R$ 16,5 bilhões. “É a maior demonstração do compromisso de, definitivamente, atuar na solução hídrica para todo o povo brasileiro”, ressaltou o ministro.

Segundo Waldez Góes, ao tomar posse, em janeiro deste ano, o Governo Federal encontrou  uma situação crítica de falta de dinheiro no Orçamento para o projeto. “A maioria das obras estava com previsão quase nenhuma de recurso para este ano. Mas o presidente tomou as providências para mudar essa realidade e concluir as obras necessárias, não só aqui no Rio Grande do Norte, mas também no restante do Nordeste e do País”, disse.

O ministro informou que os investimentos federais também vão contemplar, além das grandes obras hídricas, a instalação de pequenos sistemas de abastecimento de água para atender comunidades rurais e quilombolas, aldeias indígenas e áreas extrativistas, entre outros. Haverá, ainda, ações de revitalização de bacias hidrográficas (rios, córregos) para que o Brasil tenha água em quantidade e qualidade nos próximos anos.

“O presidente Lula assumiu o compromisso de garantir água para o consumo humano, de combater a pobreza, de tirar mais uma vez o Brasil do mapa da fome e de garantir responsabilidade ambiental e de defender a democracia para nunca mais permitir que ela seja ameaçada”, ressaltou Góes.

Sobre o Ramal do Apodi

O Ramal do Apodi teve sua obra iniciada há dois anos. Hoje, 27% de sua execução já foi concluída. A previsão é que a obra se estenda por 52 meses e a visita desta sexta-feira marca justamente a metade do tempo estimado para sua conclusão. No Rio Grande do Norte, o ramal receberá o túnel Major Sales (foto acima, à esquerda), com 6,3 quilômetros de extensão, ligando o estado à Paraíba.

“Essa água vai matar a sede da população e trará desenvolvimento para as regiões, como na irrigação, na pesca e na produção de alimentos”, afirmou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra. “O presidente Lula e eu somos de uma geração de sobreviventes da seca, que não matava só gado, matava gente, de sede e fome. E agora tenho orgulho de garantir para vocês que o Rio Grande do Norte vai concluir a transposição e teremos 100% de segurança hídrica no estado” completou.

Também participaram do evento desta sexta-feira a primeira-dama Janja Lula da Silva, os ministros da Casa Civil, Rui Costa, e da Secretaria-Geral da Presidência, Márcio Macêdo, além de parlamentares, prefeitos e outras autoridades.

Governo Federal

Compartile:

Tags:

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE